quinta-feira, 8 de junho de 2017

No coração da poesia


Da lógica
A fria lâmina
Apunhala a poesia
Vã tentativa
Mesmo cravado no coração
O punhal derrete-se
No fogo da intuição



Porto Alegre, 8 de junho de 2017.

Edu Cezimbra